Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

27.01.23

Os anos 90 estiveram entre as melhores décadas no que toca à produção de filmes de interesse para crianças e jovens. Às sextas, recordamos aqui alguns dos mais marcantes.

Algumas figuras da chamada 'cultura pop' podem ser consideradas imortais, atravessando e influenciando várias gerações de crianças e jovens. De Zorro e Sherlock Holmes a Doctor Who e Harry Potter, a lista destes heróis é mais vasta do que, à partida, possa parecer – e um dos mais incontornáveis nomes nela contidos é o do agente secreto britânico James Bond.

De facto, apesar de ser pouco provável que algum jovem – português ou não – do último meio século tenha lido as obras escritas originais de Ian Fleming, é um dado quase adquirido que o mesmo terá visto pelo menos um dos filmes que, desde essa altura, vêm sendo dedicados ao herói. Com origem nos anos 60 – quando eram, ainda, contemporâneos dos próprios livros, e os mesmos estavam, ainda, a ser lançados – a franquia 007 conseguiu a proeza de, exactos sessenta anos após aquela primeira incursão com 'Dr. No' (de 1962) continuarem a atrair espectadores às salas de cinema, com o mais recente filme da série, lançado em 2021, a continuar a tendência de obras que, sem serem revolucionárias ou espectaculares, se traduzem ainda assim em duas horas de entretenimento de qualidade.

Esta definição pode, sem dúvida, aplicar-se a qualquer dos quatro filmes da era em que o agente foi interpretado por Pierce Brosnan (até então conhecido, sobretudo, pelos seus papéis em comédias familiares) os quais ajudaram a introduzir Bond a toda uma nova audiência, que era talvez demasiado nova para ter visto a última incursão do agente secreto no grande ecrã, 'Licença Para Matar', de 1989, e com Timothy Dalton no papel principal. De facto, para a geração nascida ou crescida nos anos 90 e 2000, Pierce Brosnan FOI James Bond – pelo menos até Daniel Craig herdar e redefinir o papel do agente britânico, já em pleno Novo Milénio. Assim, numa altura, em que o segundo destes filmes acaba de celebrar vinte e cinco anos sobre a sua estreia nacional (a 18 de Dezembro de 1997), nada melhor do que recordar, ainda que brevemente, a era em que o actor irlandês vestia o 'smoking' do distinto aficionado de Martinis.

MV5BMzk2OTg4MTk1NF5BMl5BanBnXkFtZTcwNjExNTgzNA@@._

As bases para a 'fórmula´ dos filmes da era Brosnan seriam estabelecidas com 'GoldenEye', filme de 1995 que, hoje em dia, é mais lembrado pela actuação de Sean Bean, no papel do vilão Trevelyan, e pela extremamente bem sucedida adaptação electrónica lançada para Nintendo 64 em 1996. De resto, trata-se do típico 'filme-pipoca', com muitas explosões, cenas de acção mirabolantes e argumento simultaneamente simplista e complexo em demasia, que marcaria tanto esta franquia quanto a 'concorrente' 'Missão Impossível', de Tom Cruise.

Tomorrow_never_dies_ver3.jpg200px-World_is_not_enough_ver3.jpg

Esta mesma 'receita' alavancaria os dois filmes seguintes, 'O Amanhã Nunca Morre' (de 1997) e 'O Mundo Não Chega' (de 1999), duas obras muito semelhantes (até ao nível dos cartazes, como se pode constatar nesta mesma publicação) e que, como tal, se tendem a confundir na mente dos fãs mais 'casuais' de Bond. Ainda assim, e conforme referido no início desta publicação, qualquer dos dois representa uma excelente forma de 'matar' duas horas numa tarde ou noite mais 'preguiçosa', sobretudo para fãs da referida 'Missão Impossível' ou da franquia 'Kingsman'.

e6d08c8cb2c3414720c00039dcfa69fddd8dd5d0.jpg

A quadrilogia Brosnan encerrar-se-ia já no novo milénio, e de forma algo controversa, já que 'Morre Noutro Dia', de 2002, é geralmente tido como um dos piores filmes não só dessa era, mas de toda a série; ainda assim, o filme (que seguia a mesma fórmula dos anteriores) foi relativamente bem-sucedido, ainda que não o suficiente para prolongar a 'era Brosnan' – o filme seguinte, 'Casino Royale', de 2005, marcaria a estreia do quinto (e, até hoje, último) actor a vestir a pele do agento britânico, Daniel Craig. E ainda que o declarado afastamento deste último após o filme de 2021 marque o fim de mais uma era para a franquia, não é de crer que a mesma venha a terminar tão cedo – afinal, como o próprio título daquele filme indicava, o espião britânico encontra-se, regra geral, 'Sem Tempo Para Morrer'

28.01.22

Os anos 90 estiveram entre as melhores décadas no que toca à produção de filmes de interesse para crianças e jovens. Às sextas, recordamos aqui alguns dos mais marcantes.

A habilidade para interpretar, convincentemente, elementos do sexo oposto sempre foi, e continua a ser, uma das marcas de um cómico acima da média. Do teatro de revista a conjntos como os Monty Python ou actores como Dustin Hoffman, são inúmeros os exemplos de actores e artistas que souberam explorar esta vertente humorística com arte e categoria, demonstrando assim a sua versatilidade.

A estes nomes, há que juntar outro, já conhecido pela sua capacidade de encarnar qualquer personagem, mas que teve na comédia 'travesti' a sua última prova de fogo; falamos, é claro, de Robin Williams, que, em 1993, envergou uma peruca, vestido e peitos de silicone para ajudar a criar um clássico do cinema familiar dos anos 90 – o inesquecível 'Papá Para Sempre'.

download.jpg

Estreado em Portugal há quase exactamente 28 anos (a 4 de Fevereiro de 1994), 'Mrs. Doubtfire' oferecia, desde logo, um motivo de enorme interesse para o público-alvo, por trazer a chancela de Chris Columbus (futuro responsável por trazer a saga 'Harry Potter' para o grande ecrã), que fizera nome no início da década com o mega-clássico de Natal 'Sozinho em Casa', e fora também responsável pela sua (muito inferior) sequela, dois anos depois. O nome do realizador, juntamente com o de Robin Williams – favorito do público jovem após a participação em 'Hook', de Steven Spielberg, dois anos antes – terão sido, por si só, motivos mais que suficientes para atrair a demografia infanto-juvenil; o facto de o filme ser marcante e memorável terá constituído, tão-sómente, um bónus acrescido.

E a verdade é que é mesmo a mestria de Columbus e Williams que eleva 'Papá Para Sempre´acima daquilo que parece ser – um filme parvo de comédia para crianças – e o torna num clássico nostálgico ainda hoje lembrado e acarinhado por quem o viu em pequeno. O realizador faz uso de toda a sua experiência como director de filmes infantis – e reúne em seu redor uma equipa de efeitos práticos e maquiagem de topo, responsável pela transformação justamente premiada do actor principal em 'velhota' de carrapito - enquanto que o actor surge em magnífica forma, 'desaparecendo' na personagem da velha ama Euphegenia Doubtfire, num desempenho ora caracteristicamente caricatural e exagerado, ora mais vulnerável e subtil, à semelhança do que Williams apresentara em filmes como 'O Clube dos Poetas Mortos'. Nenhum dos dois intervenientes precisava de ter dado o seu melhor num filme tão aparentemente banal, mas foi exactamente isso que aconteceu – e é precisamente graças a esse esforço extra que 'Papá Para Sempre' NÃO se salda como apenas 'mais um' filme para crianças, tendo mesmo sido premiado com um Oscar (para melhor maquiagem, naturalmente) na cerimónia de 1994, algo que normalmente se afiguraria praticamente impensável para um filme deste tipo.

46d394dbd2821b92c4c64ae277d8b06c8dd0b39c5fbd2e2045

A espantosa transformação de Robin Williams é um dos grandes trunfos (e triunfos) do filme.

Seria injusto, no entanto, destacar a prestação de Williams sem falar dos seus coadjuvantes (entre os quais se destacam Sally Fields, o futuro 007 Pierce Brosnan, e Mara Wilson, que até ao final da década voltaria a brilhar nos papéis principais de 'Milagre em Manhattan' e 'Matilda') que – embora nunca se desviem muito dos protótipos dos seus respectivos papéis – ajudam também a manter o nível técnico e artístico do filme acima da média, e a justificar, assim, o sucesso do mesmo entre as crianças de todo o Mundo.

uma-baba-quase-perfeita.jpg

O excelente elenco do filme

De facto, 'Papá Para Sempre' é daqueles filmes – a exemplo de 'Sozinho em Casa', ou dos filmes da era de ouro da Disney – que continua a ser descoberto por cada nova geração de crianças, seja em DVD ou nas plataformas digitais, seja através da exibição na televisão - e numa altura em que quem viu o filme no cinema se começa a tornar pai de filhos em idade apropriada para serem apresentados ao filme, não se prevê que essa tendência se venha a alterar, ou sequer a abrandar. Não, o 'Papá' de Robin Williams faz jus ao nome escolhido para exibição em Portugal, já que promete mesmo permanecer na vida das crianças e jovens portugueses 'Para Sempre'....

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub