Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

10.09.21

NOTA: Este post é relativo a Quinta-feira, 9 de Setembro de 2021.

Todas as crianças gostam de comer (desde que não seja peixe nem vegetais), e os anos 90 foram uma das melhores épocas para se crescer no que toca a comidas apelativas para crianças e jovens. Em quintas-feiras alternadas, recordamos aqui alguns dos mais memoráveis ‘snacks’ daquela época.

De todos os ‘snacks’ normalmente associados às crianças e adolescentes, as pastilhas elásticas perderão apenas para os chupa-chupas e batatas fritas no que toca à associação de ideias – e com bons motivos. Seja como forma de ‘entreter’ numa aula ou espera particularmente aborrecida, seja para aferir quem consegue fazer o maior balão (ou, se forem particularmente dotados, até dividir um balão em dois) ou até para oferecer à pessoa que se ‘curte’, à laia de subtil presente, a verdade é que a maioria das crianças tende a gravitar para este tipo de doce, até pelo seu preço unitário extremamente baixo, convidativo até à mais vazia das carteiras.

Isto em Portugal, claro – há países onde as pastilhas apenas são vendidas em embalagens tipo Chiclets, não conhecendo as respectivas crianças as alegrias das ‘chiclas’ vendidas avulso, nem daquele tipo de pastilha de que falaremos no post de hoje, de goma extra-dura e que obrigam os dentes a uma verdadeira ‘aula de ginástica’ para as amolecer, tornando-as por isso o pesadelo de qualquer dentista.

Logo_PastilhasGorila.png

Falamos, claro, das pastilhas Gorila, um produto tão reconhecivelmente português como os sumos Compal (de que aqui falaremos paulatinamente) ou as papas Milupa, e que leva já quase meio século a pôr as crianças portuguesas a ‘mascar’.

Criadas pela Lusiteca (também responsável pelos rebuçados Penha, entre outras marcas bem conhecidas de quem aprecia doces) em 1975, as pastilhas Gorila surgem hoje em vários formatos, juntando-se á tradicional pastilha da nossa infância e respective versão ‘Super’ (mais fina e comprida) uma variante sem sal, e até um chupa-chupa; no entanto, para uma larga camada da população portuguesa, o nome estará, para sempre, ligado àqueles rectângulos brancos grossos, embrulhados em papel colorido codificado conforme os sabores, e que se compravam a cinco ou dez escudos cada no café da esquina ou no quiosque ao pé da escola. Durante, pelo menos, as primeiras duas décadas de existência, as pastilhas Gorila eram ‘as’ pastilhas elásticas portuguesas – se havia alternativas, estas não eram, a maior parte das vezes, sequer consideradas pelo público-alvo.

download (1).jpg

Ah, memórias...

A partir da primeira metade dos anos 90, esse paradigma viria a mudar ligeiramente, com o aparecimento da primeira concorrente à altura para a Gorila – a poderosa ‘multinacional’ Bubbaloo, cujo ‘truque’ de rechear as pasilhas com uma espécie de geleia ‘caiu no goto’ dos jovens portugueses, tendo tanto esta pastilha como a sua a versão sem geleia, a Bubblicious, sido sucessos imediatos entre a demografia em causa, e posto em causa o reinado incontestado das Gorila.

Ainda assim, embora tivesse perdido o monopólio do mercado, as pastilhas nacionais por excelência retiveram uma fatia suficientemente grande do mercado para continuarem de vento em popa, e cativarem – até agora – mais duas gerações de jovens portugueses, para não falar daqueles que cativam a partir de cafés lusitanos em países estrangeiros (e podemos afirmar, por experiência própria, que ver uma caixa de Gorilas na montra de uma pastelaria em Londres é uma sensação difícil de qualificar.) Assim, não é de admirar que, quase cinquenta anos após o seu lançamento, estes singelos mas populares doces continuem a ter presença cativa nas prateleiras da maioria dos cafés, pastelarias e quiosques de Norte a Sul do país…

download.jpg

E nem falámos dos cromos...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub