Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

21.03.24

Trazer milhões de ‘quinquilharias’ nos bolsos, no estojo ou na pasta faz parte da experiência de ser criança. Às quintas, o Portugal Anos 90 recorda alguns dos brindes e ‘porcarias’ preferidos da juventude daquela época.

Qualquer jovem dos anos 90 se recorda do 'frisson' de encontrar, escondido num qualquer canto da casa ou mesmo no centro da mesa da sala na manhã de Domingo de Páscoa, um ou mais ovos de chocolate, prontos a serem 'devorados' sozinhos ou em família. No entanto, mais atractivos ainda do que o próprio chocolate eram os brindes que tendiam a vir 'acoplados' a estes ovos, e que iam de 'quinquilharias' mais simples a objectos ligados a qualquer potencial licença de que os ovos dispusessem.

adb127ccd96cc14c6d5f2780b623ad02-754x754.jpg

Exemplo moderno da tendência em causa.

Normalmente disponibilizados no exterior do ovo, por oposição ao seu interior, como no caso dos ovos Kinder, estes brindes tendiam a dividir-se em duas categorias: os de 'tamanho real' (como os memoráveis carros e peluches disponibilizados com os Kinder Gran Sorpresa) e aqueles que pouco mais eram do que versões maiores das icónicas miniaturas e brinquedos dos ovos de chocolate 'pequenos', comprados no café ou supermercado. E apesar de os primeiros serem, por razões óbvias, mais apetecíveis, a verdade é que até mesmo os mais pequenos faziam sucesso entre o público-alvo; afinal, qual é a criança que não gosta de receber brindes grátis?

Ao contrário de muitas outras tradições de que falamos nestas páginas, esta é uma prática que se mantém relativamente imutável até hoje, sendo quase inevitável ver, por esta altura do ano, ovos de chocolate multi-coloridos nas prateleiras das mais variadas lojas de Norte a Sul do País, muitos deles oficialmente licenciados, e outros com brindes quase maiores do que eles a oferecerem um atractivo adicional, como é o caso dos peluches de Coelhinho da Páscoa dos ovos da Milka. Assim, e por oposição ao que sucede com a maioria dos tópicos por nós abordados, esta é uma tradição partilhada tanto pelas gerações 'X' e 'millennial' como pelas 'Z' e 'Alfa', que - imagina-se - surjam na escola após as férias de Primavera tão 'impantes' com os seus brindes e 'quinquilharias' pascais como os seus pais quando tinham a mesma idade...

08.04.23

As saídas de fim-de-semana eram um dos aspetos mais excitantes da vida de uma criança nos anos 90, que via aparecerem com alguma regularidade novos e excitantes locais para visitar. Em Sábados alternados (e, ocasionalmente, consecutivos), o Portugal Anos 90 recorda alguns dos melhores e mais marcantes de entre esses locais e momentos.

Há trinta anos atrás, quando a geração que lê este blog era criança ou adolescente, o fim-de-semana que ora se assinala marcava, para eles, não só a festa da Páscoa como também um evento quase tão importante: o ponto médio das férias de Primavera, as quais levavam normalmente o mesmo nome do feriado religioso. Era altura de expôr, na escola, os desenhos primorosamente pintados de ovinhos e coelhinhos (e aquele do aluno criativo - ou espertinho - que dava o seu próprio toque à ilustração com um esquema de cores rocambolesco) e de deixar as aulas durante duas semanas (mesmo tempo das férias do Natal, mais uma semana que as anteriores, do Carnaval) para ir 'encher a barriga' de ovos de chocolate junto da família, fosse em casa ou num qualquer destino de férias.

20190327113920621.jpg

De facto, apesar de ocorrer com menos frequência do que nas férias do Verão (ou 'férias grandes') ou mesmo do que no Natal, havia quem não deixasse de aproveitar a Páscoa para rumar a outro destino que não apenas a casa de todos os dias, ou o lar de familiares próximos, sendo os locais escolhidos os do costume naqueles idos de finais do século XX, desde a casa dos primos no campo até locais de maior destaque, como estâncias de férias ou pontos turísticos no estrangeiro. Fosse qual fosse o destino, no entanto, algumas coisas nunca mudavam: havia sempre chocolates quase à discrição (fossem ovos, amêndoas ou qualquer outro dos doces tradicionais da época) e quem era crente não deixava de ir à missa, mesmo que esta tivesse de ser ouvida em Francês.

Ao contrário da maioria dos assuntos que abordamos neste nosso blog, este período do ano sofreu muito poucas alterações desde aqueles tempos; os destinos turísticos hoje são outros, e é possível falar com familiares sem necessariamente ter que os visitar (graças aos telemóveis e a plataformas como o Zoom e Skype), mas os aspectos-base das férias da Páscoa dos jovens de hoje em dia são, de um modo geral, os mesmos que fizeram os seus pais ansiar por esta época do ano, e sentir-lhe a falta quando ela terminava, e que farão, decerto, a próxima geração sentir-se da mesma maneira sempre que o calendário chega a finais de Março ou inícios de Abril...

23.03.23

Todas as crianças gostam de comer (desde que não seja peixe nem vegetais), e os anos 90 foram uma das melhores épocas para se crescer no que toca a comidas apelativas para crianças e jovens. Em quintas-feiras alternadas, recordamos aqui alguns dos mais memoráveis ‘snacks’ daquela época.

De entre todos os chocolates e guloseimas disponíveis no mercado português durante os anos 90 (e mesmo hoje em dia), um em particular destaca-se por sobre todos os outros: os ovos Kinder, as deliciosas confecções de chocolate branco e de leite conhecidas pelas suas icónicas séries de mini-figuras, e de que aqui paulatinamente falaremos. E se comprar ou receber um ovo Kinder 'normal', no contexto de um passeio ou visita a familiares, já era motivo de deleite para qualquer criança, imagine-se receber uma versão em formato (e tamanho) de ovo de Páscoa do referido doce, com uma versão gigante (e, muitas vezes, licenciada a uma qualquer propriedade intelectual popular entre os mais jovens) do típico brinde no interior?

huevo-kinder-maxi-gran-sorpresa-800x800.jpeg

Variante moderna do produto em causa.

Era precisamente essa a experiência que os 'putos' mais sortudos dos anos 90 (e também de gerações subsequentes) potencialmente viviam durante o período de Páscoa, altura em que a Kinder disponibilizava os seus ovos 'Gran Sorpresa', com brinquedos e brindes de tamanho 'normal' e cerca de dez vezes mais do delicioso chocolate de que desfrutar. Com esta conjugação de factores – a juntar a uma apresentação tão cuidada como a de qualquer produto concorrente – é de surpreender que estes ovos fossem um verdadeiro 'Santo Graal' para as crianças daquela época?

O principal obstáculo a este festim pascal de sonho, no entanto, mantém-se o mesmo até aos dias de hoje: o preço. Por razões óbvias (sendo de marca e trazendo um brinde bastante melhor que os da 'concorrência') os ovos Gran Sorpresa da Kinder eram, e continuam a ser, significativamente mais caros do que os homólogos de marcas como a Regina – uma situação, hoje em dia, mitigada pela grande variedade de oferta de produtos de Páscoa por parte da marca, mas que, numa altura em que os ovos gigantes eram uma das poucas opções disponíveis, acabava por 'matar pela raiz' o sonho de muitas crianças em receber um destes doces do 'coelhinho da Páscoa'. No entanto, qualquer ex-criança dos anos 90 (e, estamos em crer, também qualquer jovem dos dias de hoje) não hesitaria em considerar essa diferença de preço, e o investimento num destes ovos, justificado – afinal, quem não gostava (ou gostaria) de passar a Páscoa a 'empanturrar-se' de chocolate Kinder, enquanto brincava com o carrinho ou boneca Barbie que o mesmo trazia como brinde?

16.04.22

Os Sábados marcam o início do fim-de-semana, altura que muitas crianças aproveitam para sair e brincar na rua ou no parque. Nos anos 90, esta situação não era diferente, com o atrativo adicional de, naquela época, a miudagem disfrutar de muitos e bons complementos a estas brincadeiras. Em Sábados alternados, este blog vai recordar os mais memoráveis de entre os brinquedos e acessórios de exterior disponíveis naquela década.

E numa altura em que se celebra a quadra pascal, nada melhor do que dedicar algumas breves linhas àquela que, para muitas crianças portuguesas, era uma das partes mais divertidas do fim-de-semana: a tradicional caça aos ovos.

Caça-aos-ovos.jpg

Embora, em outros países, actividades semelhantes a esta se desenrolem em moldes bem mais sofisticados (a ponto de poderem ser consideradas actividades organizadas, dignas de uma Saída de Sábado) em Portugal, o jogo reveste-se de moldes bem mais simples: essencialmente, as crianças apenas têm de descobrir os ovos de chocolate escondidos pelos pais (sob a guisa do clássico Coelhinho da Páscoa) na noite anterior, ficando cada ovo de posse de quem o encontrar, salvo se houver etiqueta a indicar o contrário.

É claro que existem nuances (quem mora num apartamento terá uma missão menos longa e variada do que quem tem quintal, por exemplo) mas os traços gerais pouco se alteram em relação ao anteriormente descrito; um conceito bem simples, mas capaz de ocupar a atenção das crianças portuguesas (quer as dos anos 90, quer as actuais) durante largos minutos na manhã de Domingo, especialmente por ter uma recompensa bem desejável e atractiva - e que, por isso mesmo, merece lugar de destaque aqui no blog nesta quadra pascal.

08.04.22

NOTA: Este post é respeitante a Quinta-feira, 07 de Abril de 2022

Todas as crianças gostam de comer (desde que não seja peixe nem vegetais), e os anos 90 foram uma das melhores épocas para se crescer no que toca a comidas apelativas para crianças e jovens. Em quintas-feiras alternadas, recordamos aqui alguns dos mais memoráveis ‘snacks’ daquela época.

As épocas festivas são, regra geral, indissociáveis das suas comidas típicas; mesmo em países menos enamorados da gastronomia do que Portugal, os pratos e guloseimas típicos de uma certa época são das primeiras coisas a vir à mente. E se, por terras lusas, o Natal é a principal 'festa gastronómica' - com os tradicionais bolo-rei, rabanadas, filhozes e bacalhau - a Páscoa pouco atrás lhe fica, sendo a época por excelência do folar e, claro, das amêndoas e ovos de chocolate.

images.jpg

E se as crianças de hoje em dia têm muita e boa variedade de escolhas nesse capítulo, nos anos 90, a situação era - se possível - ainda melhor, com várias fabricantes de chocolate a atravessar 'estados de graça' que lhes permitiam pôr no mercado ovos cada vez mais extravagantes - muitos deles com brindes a condizer - que faziam as delícias das crianças de uma certa idade. Das mais ´humildes´, como Imperial e Favorita, às famosas, como a Kinder (cujos ovos eram, invariavel e previsivelmente, os 'reis' da época, pelo simples facto de mais não serem do que versões 'gigantes' dos famosos ovos da marca) eram muitas as alternativas ao dispôr das crianças - e respectivos pais - no que tocava a adquirir ovos para comer no fim-de-semana prolongado.

Melhor - a maioria destes ovos eram, após a aquisição, utilizados para o outro grande ponto alto do fim-de-semana pascal - a saber, a famosa caça aos ovos, tradição que continua bem viva, tanto em Portugal quanto em outros países, e que dá um colorido ainda mais especial à festa. Tanto assim é, aliás, que as caças aos ovos constituem uma das poucas instâncias em que a maioria das crianças não tem quaisquer problemas em se levantar mais cedo do que o habitual - especialmente por a recompensa de tal esforço ser uma divertida brincadeira a terminar em 'quilos' de chocolate...

Enfim, apesar de, no essencial, não diferir muito do que se vive actualmente (e do que se viveu em outras épocas) a Páscoa dos anos 90 pautava-se pela diversidade e qualidade dos seus doces e guloseimas, na sua esmagadora maioria irresistíveis para o público-alvo - e entre os quais os ovos de chocolate assumiam, previsivelmente, lugar de destaque...

06.04.22

Em quartas-feiras alternadas, falamos sobre tudo aquilo que não cabe em nenhum outro dia ou categoria do blog.

Na última edição desta rubrica, falámos de uma das instâncias mais desagradáveis da vida escolar dos anos 90, nomeadamente a inspecção aos piolhos; para contra-balancear esse post, esta semana, vamos falar de uma das mais agradáveis: a chegada das férias da Páscoa.

desenhos-para-colorir-da-pascoa-feliz-pascoa.jpgUm desenho para pintar bem típico da época

E se os principais atractivos da época natalícia eram os presentes, a boa comida e o tempo passado em família (isto sem contar com a inevitável ida ao hipermercado), já a Páscoa 'conquistava' os corações dos mais novos com uma mistura de chocolate (o 'rei' das guloseimas), bom tempo (QUASE sempre...), brincadeiras como a caça aos ovos e, claro, também a oportunidade de celebrar junto da família o feriado, quer de forma religiosa, quer laica.

Fosse qual fosse o motivo, a verdade é que as férias da Páscoa causavam, na mente de uma criança em idade de instrução primária, um alvoroço tão grande quanto as do Natal, e apenas excedido pelas férias grandes; por este motivo, poucos eram os docentes que procuravam ensinar matéria nova no final do segundo período, preferindo as habituais actividades de trabalhos manuais relacionadas com a Páscoa, ou a pintura de desenhos, sempre tão do gosto dos mais novos – sendo, em ambos os casos, os motivos voltados à festa da Primavera, com coelhinhos e ovos à cabeça. Os mais sortudos poderiam, até, esperar um pacotinho de amêndoas doces na sua carteira nos últimos dias antes das férias...

E embora nas escolas 'dos grandes' este 'feeling' se perdesse um pouco – entre testes de fim de período e o 'stress' de saber as notas – a verdade é que, para os estudantes primários dos anos 90 (e talvez também um pouco hoje em dia) a Páscoa era uma época de sensações especiais, combinando a alegria da Primavera com a de duas semanas de férias que se esperam cheias de chocolates e tempo passado em família – uma combinação que, espera-se, essas mesmas ex-crianças tentem, hoje, transmitir aos respectivos filhos...

Feliz Páscoa, caros leitores!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub