Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

08.07.23

Os Sábados marcam o início do fim-de-semana, altura que muitas crianças aproveitam para sair e brincar na rua ou no parque. Nos anos 90, esta situação não era diferente, com o atrativo adicional de, naquela época, a miudagem disfrutar de muitos e bons complementos a estas brincadeiras. Em Sábados alternados, este blog vai recordar os mais memoráveis de entre os brinquedos, acessórios e jogos de exterior disponíveis naquela década.

Entre as principais características de qualquer criança ou jovem encontram-se a imaginação, a capacidade de improviso e o desejo de explorar novas possibilidades e definir novas fronteiras e limites para a sua vida quotidiana, seja por meios autorizados, ou testando até onde vai a permissividade das figuras de autoridade adultas; e uma das actividades que, em finais do século passado, melhor combinava todas estas vertentes era a manufactura de “esconderijos” , fosse para a própria pessoa, ou apenas para os seus pertences.

esconderijos-cabanas-refugios-conexao-planeta-foto

Exemplo de um esconderijo florestal semi-natural.

Viáveis, sobretudo, em meios mais rurais (ou, no mínimo, menos urbanos) estes esconderijos e locais secretos podiam assumir todo o tipo de formas, das tradicionais casas na árvore até formações pré-existentes (clareiras na folhagem, buracos no chão, terrenos baldios ou recantos em edifícios abandonados, entre outros) ou outras construídas pelas próprias crianças, normalmente de forma tosca e artesanal. Uma vez encontrados e “reclamados” para um indivíduo ou grupo, estes locais passavam a formar pontos de encontro ou repositórios de brinquedos e outras “quinquilharias” para referência futura; fosse qual fosse a função dos mesmos, o importante era deixar bem claro a quem pertenciam, defendendo-os de potenciais “pretendentes” ou até ladrões.

É claro que, no decurso de todo este processo, raramente era tido em conta o perigo que estes esconderijos, “cabanas”, alcovas e locais secretos potencialmente representavam - não só em termos de integridade física como de “encontros” indesejados - e que, juntamente com o aumento exponencial dos recursos tecnológicos disponíveis para essa demografia, constitui uma das principais razões para os mesmos terem praticamente desaparecido do quotidiano infanto-juvenil das gerações actuais. Quem nasceu ou cresceu num período pré-digital, ou nos primórdios da era tecnológica, certamente terá tido, ou conhecido quem tivesse, pelo menos um destes locais secretos, onde se reunir com os amigos, fazer de pirata ou Tom Sawyer, ou guardar aquele brinquedo especial que garantisse a diversão durante um Sábado aos Saltos...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub