Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

01.11.21

Em Segundas alternadas, o Anos 90 recorda algumas das séries mais marcantes para os miúdos daquela década, sejam animadas ou de acção real.

A maioria das séries infanto-juvenis mais populares dos anos 90 são bem conhecidas, tendo muitas delas, inclusivamente, já sido abordadas neste espaço: Dragon Ball Z (no primeiríssmo post de sempre deste blog), Power Rangers, Samurai X, Tartarugas Ninja ou Moto-Ratos de Marte, por exemplo, são ainda hoje recordados com nostalgia e carinho por quem teve hipótese de com eles conviver em criança.

No entanto, paralelamente a estas séries altamente publicitadas e, em alguns casos, geradoras de autênticas 'febres' de recreio, havia outras bem mais discretas, mas não menos apreciadas pelo público-alvo; foi o caso, por exemplo, de Dartacão, Dinossauros, ou da série de que hoje falamos, a qual é tão lembrada por quem a ela assistiu como ignorada pela restante Internet.

20785723_zoebS.jpeg

Falamos de 'As Aventuras do Bocas' (no original, Ox Tales), a lendária série animada transmitida pela RTP entre 1989 e 1991, e que constituía o principal motivo para a maioria das crianças sintonizarem o programa Agora Escolha, e da apresentadora Vera Roquette ter inevitavelmente uma 'pilha' de desenhos infantis a exibir a cada edição do programa (e, sim, iremos eventualmente falar do Agora Escolha nas Terças de TV.)

Criada por dois holandeses, mas animado no Japão (o que a torna, para efeitos práticos, um 'anime'), esta hilariante série animada segue as desventuras do personagem titular, um boi agricultor habitante de um mundo idiossincrático, onde marsupiais, répteis aquáticos e animais da savana conseguem coexistir e sobreviver num ecossistema tipicamente rural, e onde o gado bovino deixa de ser apenas parte da vida de uma quinta para a passar a controlar.

É neste universo que se desenrolam as histórias tipicamente 'slice of life' da série, as quais se centram normalmente numa ideia (por vezes mirabolante, por vezes apenas bem-intencionada) do personagem principal para melhorar a sua vida e a daqueles que o rodeiam; evidentemente, por se tratar de um desenho animado de índole cómica, a maioria destas situações acabam por correr mal, levando inevitavelmente Bocas a proferir a sua frase característica: 'fiz outra vez asneira!'

as-aventuras-do-bocas-09.jpg

Uma cena bem ilustrativa da série

Um conceito simples, mas extremamente bem executado e repleto de momentos e personagens memoráveis, a começar pela música de abertura (cantada em holandês, e sobretudo lembrada pelo seu inesquecível refrão de 'Boes, Boes', que cá por casa, à época, se acreditava ser 'cuscus, cuscus') e estendendo-se a personagens como o próprio Bocas, a tartaruga Ted - que a voz da dobragem portuguesa tornava num personagem andrógino - as irritantes toupeiras, determinadas a enlouquecer o nosso herói, o leão careca ou o elefante com atitude 'body positive' (muito antes de tal conceito se popularizar) traduzida na sua frase-bordão de 'sou levezinho, sou levezinho...'

'BOES BOES! BOES BOES!'

Os próprios guiões se prestavam a situações perfeitamente hilariantes, abrangendo desde os efeitos inesperados de uma ventoinha demasiado forte até aos perigos de colocar demasiado fermento num bolo, ou tentar decorar um elefante com uma 'capa' de flores, sempre alicerçadas em 'gags' visuais muito bem veiculados pela animação dinâmica e bem conseguida, capaz de reter a atenção do público-alvo ao longo dos dez minutos que tipicamente durava cada história (cada episódio consistia de duas histórias, perfazendo os habituais vinte e poucos minutos de duração das séries animadas da época.)

Não é, pois, de admirar que 'Bocas' tenha permanecido na memória colectiva de toda uma geração de crianças portuguesas, as quais mantiveram o interesse na série durante tempo suficiente para a inevitável Prisvídeo achar que valia a pena editar alguns (poucos) episódios naqueles seus típicos VHS (e mais tarde DVD) de capas 'quase' bem desenhadas e conteúdos algo esparsos.

as-aventuras-do-bocas-02b.jpg

Alguns dos vídeos da série lançados em Portugal

Ainda assim, numa época em que a Internet ainda não permitia o acesso rápido, fácil e livre a conteúdos nostálgicos de qualquer altura da História, estas 'cassettes' e discos afirmavam-se como a única forma de as crianças portuguesas poderem recordar aquele desenho animado que tanto os havia feito rir alguns anos antes (hoje em dia, como não podia deixar de ser, uma rápida pesquisa no YouTube permite encontrar todos os episódios, dobrados em português e organizados por ordem cronológica numa 'playlist', para máxima comodidade).

Quanto à série em si, continuou (e continua) a perfilar-se ao lado de 'Dartacão' como exemplo perfeito de como uma série sem grande publicidade e sem qualquer 'merchandise' oficial (além dos referidos vídeos) pode, ainda assim, fazer sucesso entre as crianças, apenas com base na sua qualidade; nesse aspecto, pelo menos, pode considerar-se que 'Bocas' não fez, de todo, asneira...

Primeira história do primeiro episódio da série

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub