Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

Portugal Anos 90

Uma viagem nostálgica pelo universo infanto-juvenil português dos anos 90, em todas as suas vertentes.

23.02.23

Os anos 90 viram surgir nas bancas muitas e boas revistas, não só dirigidas ao público jovem como também generalistas, mas de interesse para o mesmo. Nesta rubrica, recordamos alguns dos títulos mais marcantes dentro desse espectro.

Apesar de muito mais lenta do que se previa, a morte anunciada da imprensa escrita às mãos da Internet concretiza-se cada ve mais com cada ano que passa; de facto, basta olhar para a selecção de jornais e revistas expostos em qualquer quiosque ou tabacaria portuguesa para perceber que – não obstante a presença de alguns títulos clássicos e aparentemente perenes – a oferta, e sobretudo a variedade, deste sector decresceram dramaticamente nas últimas duas décadas. Enquanto que em inícios do século XX o mercado era, ainda, suficientemente significativo para justificar revistas para demografias específicas ou especializadas em áreas tão díspares quanto a música, os videojogos e até alguns desportos de nicho, hoje em dia, os poucos títulos que sobrevivem são, ou generalistas, ou de cariz informativo e educacional, ou ainda 'clássicos' moribundos e longe do brilho de outros tempos (qualquer criança dos anos 90 sentirá profunda tristeza ao ver no que se tornou a TV Guia, por exemplo...)

jornais.jpg

Este fenómeno é ainda mais notório no campo da imprensa informativa, onde a 'postura Astérix' de 'clássicos dos clássicos' como o Diário e Jornal de Notícias, o Público, o Expresso ou o Correio da Manhã (que, tal como o pequeno guerreiro gaulês, vão resistindo ainda e sempre ao invasor) e a permanência de 'novatos' como o 'i' e o 'Sol' apenas serve para disfarçar parcialmente o desaparecimento de outros tantos títulos que qualquer cidadão português daquele tempo dava como dados adquiridos ao entrar numa banca de jornais ou tabacaria.

De facto, ainda que pouco notória (ou notável) no contexto quotidiano, a falta de periódicos como o 'Tal & Qual', 'A Capital', o 'Independente', o semanário 'Se7e', o 'pasquim' 'O Crime' (além do bombástico '24Horas', criado no decorrer dessa mesma década, e que por isso mesmo terá, em breve, direito a 'post' próprio nesta rubrica) faz-se sentir assim que se pára para pensar na variedade de títulos de distribuição nacional generalizada que o público português costumava ter à sua disposição - e isto ainda antes de falar de jornais regionais ou títulos especializados como o 'Ocasião' e o 'Blitz', ambos também entretanto extintos. Um reflexo dos tempos cada vez mais digitalizados que se vivem, não só em Portugal como um pouco por todo o Mundo, mas que não deixa de dar que pensar, e de ser até levemente deprimente para quem (como o autor deste blog) em tempos almejou fazer carreira no sector da imprensa escrita.

Por isso mesmo, e pelas memórias que proporcionaram a toda uma geração (mesmo quando não se concordava, necessariamente, com o seu conteúdo ou afiliações) fazemos questão de aqui deixar uma curta mas sentida homenagem aos jornais desaparecidos que marcaram a infância e juventude dos 'putos' de finais do século XX - quanto mais não fosse por os mesmos os verem quando iam comprar cromos, guloseimas ou bandas desenhadas...

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub